Por: Rebeca Maynart | 4 Comentário(s)

Bella Adormecida


Faz muito tempo desde a última vez que eu cuspi os nós que entalaram minha garganta.

Faz algum tempo desde que eu soube o que dizer, que ainda lembrava como é escrever. A inspiração vem mesmo de lugares inesperados, nos momentos que não estamos procurando. E algumas coisas simplesmente não mudam, como o fato das madrugadas renderem-me muito mais palavras desgrenhadas do que quando eu supostamente deveria estar acordada. 

Estragar as coisas somente para provar que pode reconstruir tudo novamente. Será que realmente conheço-me? Você certamente não me conhece. Sobriedade para encarar os dias soa incrivelmente incômodo. Acredito que agarro-me nos dramas, na intensidade e na loucura, mania, são o que mantém-me viva. 

Ou não.

Normalidade é insuportável. Anonimato sufoca. Encrenca seduz. Inevitável. Eu preciso do pulso acelerado, a sensação de estar pendurada por um fio. É um vício. É possível atar-se a dor tão intensamente ao ponto de não poder desfazer-se dela? As linhas que desejo cruzar, os limites dentro de mim que ainda não enxerguei. Os problemas são minha identidade. Sem os transtornos, o que resta? Mais um igual a todos os outros. Sem as cicatrizes, onde iria observar minha força? (pode acreditar que é fraqueza, eu vejo diferente) 

Nunca sinto-me tão forte, preenchida e satisfeita quanto quando estou vazia; assistir aos números diminuírem é realmente excitante. Jogos são meu passatempo favorito e, provavelmente infelizmente, não falo dos de tabuleiros. É engraçado como aqui dentro escondem-se tantos pedaços que quase ninguém percebe, tantas versões que imploram para sair e eu adoraria brincar com elas.

Acordei.

4 comentários:

  1. Primeiro eu preciso comentar sobre esse marcador incrível pra separar os posts de escrita. Afinal de contas, pra quem o ato de escrever precisa fazer mais sentido do que aquele que escreve? Segundo, esse seu texto me lembrou muito um amigo, os anseios, as entrelinhas, os motivos e manias de viver. Tanto que eu tive que mandar mensagem pra ele mandando ele parar o que tava fazendo pra vim te ler. E ele veio, viu?

    Enfim, só preciso dizer que foi lindo e intenso. E que se transbordar através da escrita de vez em quando é necessário pra não ficar doendo com tanta coisa guardada aqui dentro da gente.

    Com carinho,
    Conto Paulistano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai meu deus, perdoa a demora e muito obrigada mesmo pelo carinho.
      Eu amo marcadores assim haha s2 e esse seu amigo deve ser tão legal quanto você!

      Obrigada de novo ❤

      Excluir
  2. Beca!!! você voltou!! Sempre bom te ter de volta. E esse texto faz uma referência danada com uns dramas que ando lidando. Obrigada pela tua poesia e por sempre voltar. O teu texto faz falta menina!! "Acredito que agarro-me nos dramas, na intensidade e na loucura, mania, são o que mantém-me viva." AHHHHHHHH <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico indo e vindo, você sabe. (não que eu me orgulhe)
      Sério?? Ahhh esses dramas que nos atormentam né? Volta e meia eles vem fazer visita.
      Eu que agradeço por todo apoio que você sempre me dá aaaaaaaaaaaa ❤ maravilhosa
      OBRIGADAAAAAAAAAAAAAA ❤

      Excluir

Tecnologia do Blogger.