Por: Rebeca Maynart | 12 Comentário(s)

Fly away

domingo, março 20, 2016


Seu quarto a sufocava. As janelas pequenas, os móveis grandes demais, aquela decoração desesperada, tudo remetia-lhe seu desequilíbrio. Levantar e fazer qualquer coisa que ultrapassasse a barreira do "simplesmente existir" exigia um esforço abismal, cumprir com suas obrigações era algo claramente fora de cogitação, até o café perdera seu encanto em meio a mesinha de cabeceira há pelo menos três dias. 

Estava na hora de comprar um novo. Na rua o vento balançava seus cabelos negros numa valsa bonita, o vestido azul ia para frente e para trás no mesmo ritmo e sua mente divagava tetricamente. Via-se robótica, num piloto automático que apenas sobrevive. Não criava memórias, nem inventava histórias e sequer aprendera a matéria nova.  Sonhava mais do que vivia.

Não é como se a ideia de sumir não fosse recorrente, era, na verdade, bem mais do que gostaria de admitir. Mas não queria desvanecer, não, ela almejava ser salva. Ansiava por batimentos acelerados e sangue nas veias, mesmo sentindo-se oca por dentro. Precisava gritar. Arrancar de si o buraco negro que instaurou-se no seu peito, algo que nem a teoria da relatividade de Einstein poderia explicar. Em seu quebra cabeça nenhuma peça servia. 

Os pensamentos lúgubres foram dispensados quando saiu da cafeteria com outro copo de café que não beberia até o fim. Lá estava ela. Sem cigarros, sem drogas, sem seriados, seu vício era lastimar. Sua dor a mantinha ali, poética e louca, sem ela não restava-lhe mais nada.

12 comentários:

  1. "Os pensamentos lúgubres foram dispensados quando saiu da cafeteria com outro copo de café que não beberia até o fim. Lá estava ela. Sem cigarros, sem drogas, sem seriados, seu vício era lastimar. Sua dor a mantinha ali, poética e louca, sem ela não restava-lhe mais nada."

    EU ME VI ALI ♥ MEUS DEUSES, ME ABRAÇA
    eu amo o que tu escreve, moça *u*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua lindaaa!! ABRAÇO SIM!!! ♥♥
      É tão bom receber esse carinho *-* fico feliz que goste tanto, linda! Mil beijinhos ♥

      Excluir
  2. "Não criava memórias, nem inventava histórias e sequer aprendera a matéria nova. Sonhava mais do que vivia." É tão gostoso quando leio um texto e me identifico com ele. Você sempre faz isso comigo, molier. Adorei ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que amor ♥ Você sempre faz isso comigo também haha me identifico com tudo que escreve, fico feliz de ter transmitido um pouco de ti também,moça ♥ mil beijos!

      Excluir
  3. "Os pensamentos lúgubres foram dispensados quando saiu da cafeteria com outro copo de café que não beberia até o fim. Lá estava ela. Sem cigarros, sem drogas, sem seriados, seu vício era lastimar. Sua dor a mantinha ali, poética e louca, sem ela não restava-lhe mais nada."

    AFF eu.
    Amei Rebeca. Você é foda. Vou tatuar esse texto na minha testa. Vou imprimir e espalhar pelas ruas. Sei lá, acho que vou casar com esse texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai meu ♥
      Muito obrigada, Nanda *-* Fico muito feliz de saber que tu gostou ♥♥ aaaaaai que comentário lindo :3 mil beijos

      Excluir
  4. Rebeca seus textos são sempre tão profundos, mas olha, nenhum me identifiquei tanto quanto esse, me vi em cada linha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que consegui te fazer assim, Mi! Muito obrigada pelo carinho *-* mil beijos

      Excluir
  5. Bom texto,amiga!
    Conheça meu blog!
    http://www.elianedelacerda.com
    bjos

    ResponderExcluir
  6. Eu amei tanto esse texto. Tanto, tanto, tanto, tanto. Não consigo expressar o quanto..
    Café, Vodka e Literatura

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.