"Muitas felicidades, muitos anos de vida"

domingo, setembro 27, 2015


Eu devo confessar que ainda uso o mesmo chapéu que você achava cafona e reclamava zombeteira de como estava ultrapassado. Que eu tinha esse jeito que te lembrava Johnny Depp e no fundo você gostava, mas agora é como se a dupla perfeita não mais existisse. Como quando Tim Burton e Helena Bonham Carter se separaram e você chorou, porque achava eles uma graça. Eu chorei também quando você não voltou. Porque eu te achava uma graça.

O seu sorriso ainda ecoa pelos cômodos num eco que reflete a tua ausência, que se expande pelo vazio que tudo aqui se tornou. Outro dia até passou um daqueles filmes que você gostava, de comédia romântica, e eu me obriguei a assistir, como um convite à tortura que é lembrar-te (como se eu pudesse te esquecer). É claro que eu fiz brigadeiro, porque era assim que você gostava. A biblioteca que você trabalhava fechou e eles me doaram alguns dos seus livros favoritos. E evidente que só serviram como um lembrete para mim de que você jamais os leria novamente.

Eu queimei o café de novo essa noite, estava distraído, e eu sei o quanto você amava café. Sem açúcar, sem leite nem chocolate, preto como seus olhos e cabelos. Eu nunca entendi como você fazia isso, no entanto, comecei a fazer também de uns tempos para cá. O açúcar não vai mesmo adoçar o amargo que se instalou na minha alma depois de você. Como os livros tratam da história do mundo, "antes de Cristo", "depois de Cristo", há o eu antes e depois de você. Talvez um durante também.

E, meu amor, depois de você não restou mais nada. Só um buraco cheio de saudade. É isso, hoje deu mais saudade do que nos outros dias, hoje ficou mais difícil de suportar. Parece que o amanhã nunca chega sem você para apreciar o pôr-do-sol aqui, para reclamar de como aquelas pessoas devolveram o livro amassado ou com anotações. A chuva se recusa a parar de cair, como uma ordem ao sol de que ele não merece brilhar sem você para comemorar o seu aniversário. 

Eu ia te comprar um presente especial este ano e levar com margaridas, lembro o quanto gostava delas, mas acho que gostarias mais de uma carta, dessas escritas a mão. Ah, você escrevia tão bem. Mas fique tranquila, levarei também as margaridas, para florescerem com você. Nos vemos em breve, minha querida. 

You Might Also Like

19 comentários

  1. Aquela carta que te arranca um sentimentos adormecidos e te faz sentir a angústia dele por ela. Consegui até visualizar ele parado comprando margaridas na esperança dela as receber assim como ele.
    Coisa linda é ter ler assim, mansa.
    Beijos Beca ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, Cami, fico feliz que tenha te feito sentir algo e visualizar rs.
      Muito obrigada!!
      Beijos, Cami ♥

      Excluir
  2. Que texto destruidor, mas lindo :(
    É tão bom quando lemos um texto e conseguimos entrar no personagem, sentir o que ele está sentindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo muito bom, e fico muito feliz que tenha sentido o que eu quis passar, moça. Obrigada ♥ E não foi minha intenção destruir rs (só um pouco)

      Excluir
  3. Ai que texto mais lindo e triste também! :/
    É um pouco complicado esse tipo de sentimento, todo mundo passa, mas ninguém quer sentir realmente.
    Eu adorei o texto e o seu blog, deixei meu like na página do facebook porque merece e quero acompanhar mais e mais!
    Awnnn <3


    http://seismilmilhas.com/
    http://facebook.com/seismilmilhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, muito bom saber que gostastes do texto e do blog e por todo esse carinho ♥
      Volte sempre que quiser, moça, seja bem vinda!
      E é verdade, a gente adia o máximo que pode.
      Um beijo ♥

      Excluir
  4. O segundo parágrafo tá um nível de destruição acima da vida, pqp. HAHAHA
    Excelente texto, Beca! Descreves com detalhes tão belos e tristes o sentimento da ausência e o que ela causa. É impactante.
    Triste é ser separado de alguém que se ama por forças maiores como acredito que tenha sido o caso, pelo final.
    Acho bacana na sua escrita que você consegue passar a realidade do sentimento em tipos diferentes de personagens. Muitas vezes quando escrevo, as pessoas tendem a pensar que é um texto única e exclusivamente sobre mim, quando muitas vezes existem características e situações específicas de personagens. Não nos últimos textos, mas geralmente. Você faz isso bem, e identificar isso dá uma sensação boa.

    PS: Gosto da foto nova.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre bom te ver por aqui, Johnny! De verdade, obrigada pelo carinho.
      Ser separado de alguém sem ter a chance de mudar isso é realmente muito triste, é o lado cruel do universo. E sim, foi o caso, fico tão feliz que você leu as entrelinhas!! Acho que cada um interpretou de um jeito rs, mas isso também é legal, né? Deve ser.
      E muito obrigada pelo elogio. Estou tentando escrever com diversas "peles" diferentes e buscando melhorar.
      Novamente, fico feliz que você goste tanto do que faço aqui *-* E eu ia mudá-la porque ainda tinha minhas dúvidas em relação a ter ficado legal ou não, mas que bom que tu gostou haha.
      Beijo!! ♥

      Excluir
    2. Sim, cada um acaba interpretando de um jeito mesmo, mas isso é bom sim! No último texto que eu postei falo meio que isso. As pessoas associam tanto a si, com suas histórias, que acabam não tendo a sensibilidade de ver que existe história ali. Acho bem louco a forma como, dependendo da situação que você se encontra na vida, você lê e enxerga algo diferente nas mesmas palavras.
      Acho isso de escrever em outras ''peles'' muito interessante. Faço isso às vezes, também gosto de praticar.
      Estarei por perto.

      Beijos

      Excluir
  5. Em um momento "serendipity" encontrei seu blog numa segunda a noite meio entediante. Sorte a minha!
    Adorei seus textos e, preciso dizer, Tim Burton e Helena Bonham Carter se separando foi o momento em que deixei de acreditar no amor rsrs #voltaparaelaTim #voltaparaeleHelena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, muito obrigada!
      E sim, foi bem triste ver esse casal lindo se desfazer. Saudades filmes com o melhor trio :c (Tim, Helena e Depp ♥)
      Fico feliz que tenha gostado daqui, volte sempre!! ♥

      Excluir
  6. Consegui sentir tão bem tudo o que tu descreveu, como se estivesse no personagem, nos mínimos detalhes. Ficou incrível, sério!!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Mari, bom demais saber que você gostou! ♥

      Excluir
  7. Nossa, eu jurava que já tinha comentado esse texto, mas pelo jeito não, haha.

    Que texto lindo, sério. De início achei que o protagonista só foi deixado pra trás, esquecido, mas pro final parece mesmo que não foi bem assim... Gosto dessas histórias em que a pessoa não vai embora por causa de brigas, desentendimentos, mas sim porque a vida segue seu curso natural e as coisas acontecem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohh, que amor! Muito obrigada, de verdade!
      É, às vezes a gente apenas não pode evitar que algumas pessoas vão embora, não é culpa de ninguém senão da própria vida, não é?
      Fico feliz que tenha gostado ♥

      Excluir
  8. Moça que viagem, me encanta me perder nos textos assim. Escreves super bem, curti demais parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, moço. Fiquei feliz de ver você aqui e que bom que você gostou!
      Espero que volte sempre ♥

      Excluir
  9. Que texto lindo Rebeca! Como conseguiu transmitir o que sinto, assim tão fácil?
    "O seu sorriso ainda ecoa pelos cômodos num eco que reflete a tua ausência, que se expande pelo vazio que tudo aqui se tornou." ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Gabi, saudade de você por aqui ♥ Fico feliz que tenha gostado!

      Excluir