Por: Rebeca Maynart | 6 Comentário(s)

Antes de se aproximar, leia a bula

terça-feira, outubro 23, 2018

Eu sou o buraco negro que suga tudo de bom daquilo que toca. Eu sou a erva daninha que destrói a beleza de qualquer jardim. Eu sou o riso enganado que arranca gargalhadas e rasga por dentro. Eu sou as palavras brutas que açoitam os tímpanos e doem mais que um soco nos dentes. Eu sou a má companhia da qual seus pais falavam quando você era mais novo. Eu sou um acúmulo de más decisões e nenhum remorso.

Eu sou o fantasma que não te deixa dormir e entromete-se nos seus planos, só para sair correndo depois. Eu sou o olho do furacão e meu quarto não se compara ao caos instaurado nesse desastre natural. Eu sou a tormenta do sorriso mais escrotamente lindo que você vai ver. Eu sou o limite inexistente da matemática. Eu sou o narcisismo ludibriante de saias e salto alto.

Eu sou o egoismo de querer você só para mim e a mim para quem eu quiser. Eu sou a impulsividade de nunca considerar as consequências e entorpecer de adrenalina. Eu sou o vício que instiga, castiga e escraviza. Eu sou os cativantes olhos castanhos das tardes monótonas de domingo. Eu sou a aventura inesquecível e a viagem visceral para dentro de você.

Eu sou a droga mais fascinante que você vai desfrutar

(e a mais perigosa)

sem moderação.

6 comentários:

  1. Impressionante o poder de atração de "certas drogas". Demais o texto!

    ResponderExcluir
  2. Eita, menina, que intenso huahua

    não há problema em não guardar diários de memórias, escrever aqui suas experiências de modo metafórico já é o suficiente! <3

    Com amor, ♥ Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  3. Pooooxaaaaaaaaaa
    Perigosíssima socorrrrr
    Adorei a construção e a maneira que você me guiou até o fim na mesma proporção!

    xero
    https://leayasnaya.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc quer dangerous woman??
      Obrigada pelo carinho, Léa! <3

      xero

      Excluir

Tecnologia do Blogger.