Por: Rebeca Maynart | 2 Comentário(s)

Ruínas

quarta-feira, setembro 05, 2018

Tudo bem se eu repetir tudo de novo, os mesmos quinhentos textos de sempre? Está tudo repetindo-se de qualquer forma, sobre o que mais eu escreveria? A areia movediça da minha mente submerge-me outra vez. Outra vez? Acredito que nunca saí dela, afinal. Sempre estive aqui, aprisionada no meu próprio assombro.

Já não acredito na ressurreição de uma alma morta que não pode ser salva. Que sangra, metafórica e literalmente. Que sucumbe ao inevitável. Um peso morto em inexorável agonia. Nem pilulas nem força de vontade podem proteger-me de mim mesma. Esvaí há muito tempo deste corpo robótico com uma mente que não repousa e trabalha avidamente na autodestruição. 

Uma vagarosa consternação que termina em ruínas
devastadoras e dolorosas.

2 comentários:

  1. AI MEU, espera ai?! Como assim “A areia movediça da minha mente submerge-me outra vez.”???
    Isso sou eu, sempre em batalha com a minha mente cara!! Nós duas, bem escorpião, sendo viciada na autodestruição ne Beca?! #socorro Ainda bem que achamos conforto na poesia. Parabéns pelo texto gatinha. Tamo junto Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escorpianas até a última gota amiga haha <3
      obrigada por sempre se fazer presente, você é linda.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.