Por: Rebeca Maynart | 1 Comentário(s)

Agora é tarde para vir aqui

sexta-feira, agosto 11, 2017

Tu estacionaste teu carro bem na minha rua e saiste de lá como quem não quer nem saber se tem alguém atrás querendo passar também (o automóvel atrás buzinou umas três vezes incomodado, antes de simplesmente mudar de pista). Tocou minha campainha e bateu na porta como de costume, e eu nem precisava checar o olho mágico para saber quem estava do outro lado. Quem, pelo amor de Deus, queria que eu abrisse aquela porta.

Respirei fundo do sofá, sentindo de longe seu batimento cardíaco acelerado e sua respiração nervosa. Cogitei todas as possibilidades daquela tarde: a) fingir que estava dormindo e ignorar sua barba bem feita, b) te deixar plantado mais um pouco e depois com todo o cinismo que conseguir reunir perguntar o que há, ou c) te mandar ir embora? Respirei lentamente outra vez revirando os olhos e contemplando meu último minuto de silêncio.

Levantei.

Lá estava você: nada realmente parecia ter mudado, embora ainda parecesse alguém diferente. E todas as suas palavras ensaiadas desmancharam-se em pedaços quase tangíveis no chão quando me viste. Ergui a sobrancelha, esperei mais um pouco para que falasse. No entanto, escutei apenas silêncio, porque você sabia. Estava no meu rosto, estava no meu olhar, estava escrito em cada parte minha: já não te amo mais.

Te dei todas as chances, te dei todas as brechas para entrar, entreguei todos os meus desejos. Você desdenhou de todos eles. Agora é tarde para estacionar aqui em casa, agora é tarde para sentir. A porta está aberta, mas você pode ir embora.

Um comentário:

  1. Beca, preciso dizei que demorei um pouco até entender o quão gracioso é esse texto. Primeiro eu fiquei meio confusa se eu sentia por ele ou por ela (pq sou dessas). Mas no final ficou um sentimento de superação (da parte dela, no caso eu HAHA) e um sentimento de “baba baby” (da parte dele). Eu acho incrível como você consegue sempre se recriar nos teus textos e você sempre tem maneiras diferentes pra abordar sobre diferentes tipos de sentimentos (a maioria das vezes contraditórios). Parabéns Beca, talentosa como sempre. =)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.