Por: Rebeca Maynart

I belong to nowhere

domingo, maio 08, 2016

Ao meu redor nada parece familiar. Todo mundo fala algo sobre ter um lar, seja ele feito de concreto ou escondido em um abraço, fazendo-os sentirem-se seguros e acolhidos. Já eu, presumo não saber o que é isso. Meu quarto acoberta mil pesadelos, os livros revelam as realidades que lamentavelmente não me pertencem, o apartamento me sufoca e nenhum abraço almeja me abrigar.

Eu fujo dos meus reflexos, mas enquanto houver luz, é impossível sonegar minha sombra. Eu devia saber, é impossível encontrar-se no mundo quando se está perdida por dentro. Perdoa a intensidade, eu nunca aleguei ser uma lagoa rasa, estou mais para o Pacífico, o mais turbulento que você já viu. E como sendo um oceano sentiria-me em casa? Eu sou maremoto, onda e mistério. Encanta, destrói. Uma imensidão inquieta, desconhecida.

Estou por toda parte e pertenço a lugar nenhum. 

8 comentários:

  1. "eu nunca aleguei ser uma lagoa rasa", tenho lido muitos textos sobre isso ultimamente e todos eles se encaixam perfeitamente com o que penso. Uma pena que poucos sejam assim também. Adorei o texto. SAUDADE DE TU, GURIA ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SAUDADE TAMBÉM, DESCULPA SUMIR TANTO ♥ E obrigadaaaaaaaa

      Excluir
  2. lar escondido em um abraço? <3 <3 Beca, e toda essa intensidade? Parabéns pelo post. Bom te ter de volta. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Beca, que texto! Esse seu tipo de texto é dos que mais mexe comigo. Sinto falta de você por aqui exatamente por isso. Não suma.
    Você é única <3

    Baú de Canto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai socorro. Como lidar??????
      ♥♥♥♥♥ você é maravilhoso mesmo obrigada pelo apoio e carinho ♥ é recíproco!

      Excluir
  4. Ai Beca quanto tempo, linda <3
    Cê escreve maravilhosamente bem <3 já tava com saudade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você que é amorzinho demais, Nessa ♥♥ Obrigada pelo carinho!!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.