Por: Rebeca Maynart | 12 Comentário(s)

Amor de padaria

terça-feira, dezembro 08, 2015

Todas as vezes que ele ia comprar pão, ela estava lá na pequena fila, aparentemente aguardando a sua vez. Ele entrava toda noite às dezenove horas, eventualmente atrasado, a hora, no entanto, jamais realmente importara, ela sempre estava lá, com o vento da janela ao fundo da padaria esvoaçando seus cabelos compridos e desgrenhados. Virava sutilmente o rosto, num rápido contato visual, os grandes olhos castanhos cintilando e um sorriso discreto. Então, finalmente, ia para o caixa.

O padeiro sempre a encarava com reprovação, contudo, nunca se pronunciou a respeito, apenas a observava deixar todos passarem na sua frente até que o rapaz chegasse e a moça enfim fizesse o pedido. Ele, por outro lado, o fruto de admiração da garota, sorria a respeito de como aquela coincidência era interessante. O destino é mesmo algo incrível, não é? Provavelmente o universo estava tentando juntá-los.

Debaixo da manga de seu paletó preto, o relógio apontava dezenove e cinquenta e dois. Houve um acidente no caminho e o trânsito estava um caos porque as pessoas não podem beber e pegar um maldito táxi. Era mesmo engraçado como ela sempre estava lá ao mesmo tempo que ele. Antes de sair, a moçoila olhou para trás novamente, dessa vez, todavia, não escondera o belo sorriso. Saiu caminhando para casa, há vinte e poucos minutos dali. Tinham outras padarias menos distantes, é claro, mas o seu rapaz não estava em nenhuma delas.

Num futuro próximo, disse a cartomante que eles se casariam e fruto desse amor, nasceriam duas lindas crianças. Porque nos dias que se seguiram, a troca de olhares evoluiu para um cumprimento e o sorriso, bom, o sorriso em algum momento virou beijo.

12 comentários:

  1. Há que texto mais amorzinho Beca.
    Sou daquelas que acredita nesses encontros casuais que depois viram propositais. ♥
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito ibrigada, Milla♥ Quem não ama os ncontros casuais que a vida arma para gente? rs Até los hermanos canta sobre isso s2 muito obrigada pelo carinho e mil beijos! !

      Excluir
  2. OWN, que lindooooooooooooooo, Beca!
    Lacrou sem limites na simplicidade de uma bela história de amor, ainda mais levando em consideração da raridade de se encontrar hoje em dia moças com essa atitude fofa da moça descrita. Muito amor. E mais café de beira de estrada, por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que amor por esse comentário!!!!!! ♥♥ só vem aqui para alegrar meu dia vc!
      Muito obrigada, Hell

      Excluir
  3. Sabe aqueles textos/contos singelos que te tiram um sorriso? ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que te fez sorrir, moça ♥

      Excluir
  4. Nhon :3 Que texto amorzinho de se ler. Tão singelo e delicado, não consigo parar de sorrir, Beca. Obrigada ❤
    p.s. Esses amores de padaria rendem cada história, dia desses escrevi sobre um também. Que loucura, hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, fico feliz por isso, Meiri ♡ muito obrigada você
      Procurei no Caosologia e não encontrei ): você postou?
      Mil beijos

      Excluir
  5. Que fofura, amei <3
    Vou mandar pra minha dignissima pq se parece um pouco com nossa historia kkkk *______*

    http://ladygagando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha ♥♥ Tomara que ela goste *-*
      Obrigada, beijão

      Excluir
  6. Leve e encantador... tal como uma ótima crônica deve ser.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.