Por: Rebeca Maynart | 0 Comentário(s)

O ato egoísta

Irônico é que quando chega o momento, os problemas parecem ter uma pontada de esperança de solução, embora eu não acredite que seja verdade. Para mim os adjetivos na família sempre foram "egocêntrica", "individualista" e "egoísta" (sem citar o clássico "gorda", "imensa"), certamente eu devo ser isso tudo e mais um pouco. Por que não acreditar? É bem mais fácil aderir as coisas ruins que nos falam por todos esses anos diariamente, repetitivamente.

Tal pensamento sempre foi um dos mais constantes em minha vida, a coragem, no entanto, nem um pouco. Talvez seja um dos meus muitos defeitos, pensar apenas em mim. Talvez o mundo não gire ao meu redor, como sempre fazem questão de me lembrar (como se eu já não tivesse escutado da primeira vez) e isso tudo seja uma mera consequência da minha falta de maturidade para lidar com a vida. Talvez eu nunca seja madura o suficiente para isso. Talvez seja porque ninguém acredite quando eu digo que não estou bem, que talvez precise de ajuda; talvez porque saibam que eu não tenho coragem.

Mas um dia eu posso vir a ter.

E então? Talvez seja apenas tarde demais.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.