Por: Rebeca Maynart | 8 Comentário(s)

O texto que eu não consegui terminar

segunda-feira, janeiro 04, 2016
Eu não sei mais escrever sobre amor porque eu desaprendi amar. Ou escrever. Na ficção ou na realidade, parece baboseira demais para mim. Uma fatalidade que, para minha sorte, estou prevenida. No primeiro sinal de afeto sincero eu saio correndo. Porque é bem mais fácil lidar com sentimentos vazios. Por muito tempo eu achei que as pessoas eram piscinas nas quais podíamos mergulhar de cabeça e que só assim aprenderíamos a nadar, mesmo com todas as placas anunciando o perigo. Portanto, deixo o aviso na entrada: não abisme-se em mim, eu sou um lago congelado. 

Guarde os meus segredos e não me obrigue a ir embora. Posto que, mesmo com essa pose de quem se arrisca e cruza todos os limites, eu não passo de covardia. E medo. Não importa o quanto eu queira rasgar minhas máscaras, você não está preparado para mim e eu não estou preparada para suas desilusões.

8 comentários:

  1. "não abisme-se em mim, eu sou um lago congelado " Beca, definindo meus sentimentos de um jeito...
    xoxo

    ResponderExcluir
  2. "mesmo com essa pose de quem se arrisca e cruza todos os limites, eu não passo de covardia." Perfeito! Nem tem o que dizer!

    ResponderExcluir
  3. Olha o texto pode até ter ficado sem terminar, mas com certeza ele acabou comigo.
    O mulher pra me destruir, até quando põe poucas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, princesa <3 rs desculpe pela destruição.
      mil beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.