Hoje não

terça-feira, agosto 18, 2015

Para ler escutando essa música.

É uma sensação ruim, aquela de mesmo depois de um dia bom, nada parecer exatamente bem. Talvez seja minha mania de melancoliar todos os sentimentos e situações; talvez, para mim, encarar as coisas de frente seja difícil demais. Eu admito não saber lidar com comentários negativos, confesso que fico arrasada com o mínimo de desprezo ou grosseria que seja feita comigo e eventualmente deixo que isso acabe com meu dia. É, eu sei, tem que ser muito bobinha para deixar coisas tão pequenas afetarem de maneira tão intensa.

E enquanto as palavras fluem na ex página branca de postagem, me dou conta que nem deveria ter começado com esses períodos e orações frívolos, parece que tenho quatorze anos outra vez. E olha que só se passaram quatro anos desde então, mas tanta coisa mudou, tanta coisa ainda é a mesma. A mesma garota indecisa das roupas esquisitas, tentativas de cabelos diferentes e querendo ao máximo não ser igual a todo mundo. 

Exatamente como todo mundo faz: tenta ser diferente.

Às vezes o peso da existência é tão chato. Nem pesado, apenas, insuportavelmente chato. Todos os dias sendo a mesma pessoa que eu não aguento mais ser; não aqui, não na escrita, mas na vida real mesmo. Que bad. Que saco. Devem ser os hormônios da TPM, me deixam extremamente sentimental e abatida, parte chata de ser mulher, ou de ser eu.

Ah, tanto faz. Vamos fingir que eu nunca disse toda essa baboseira e seguir em frente. Ou não. As palavras estavam aí, na ponta dos meus dedos, implorando para serem escritas, então, foi o que eu fiz, é o que eu faço. O grande problema é que as areias do tempo apenas não param de escorrer pelo espaço estreito da ampulheta. A gente não pode dar pause na vida para pensar, para descansar, se desligar desse mundo por alguns instantes, está tudo aí, exatamente onde não deveria estar. 

You Might Also Like

6 comentários

  1. Sobre o primeiro parágrafo, ele me descreve dos pés a cabeça. Se magoar com coisas pequenas é o meu forte, literalmente, mesmo que a outra pessoa nem perceba o que fez de errado. Sempre acontece de nos pegarmos em um momento de bad, mas logo melhora, ou aparecem outras pessoas que fazem teus dias valerem um pouco mais a pena. Texto muito bom ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes as pessoas nem percebem que alguma coisinha que falam pode machucar, ultimamente tenho tentado ser bem cuidadosa com as palavras para não magoar ninguém também. É verdade, ninguém é feliz o tempo todo, mas nenhuma bad dura pra sempre rs. Muito obrigada, fico muito feliz com esse elogio vindo de você; sabe que te admiro muito ♥

      Excluir
  2. Posso falar to me sentindo assim esses últimos tempos,e seu texto venho de encontro com o que estou sentindo sabe, pequena dentro de um grande copo d'água, onde tenho me afogado por não saber nadar contra a maré.
    E sei bem como é isso de tentar ao máximo mudar e ver as coisas iguais ainda.
    Tem sido até difícil de criar textos que não tenham o meu estado de espírito atual: cansada.
    Juro que me fez um bem danado ler isso nesse momento.
    É tão não se sentir estranha por se machucar com essas "pequenas" coisas.
    Obrigada Rebeca.
    Beijos
    ♥ Te Conto Poesia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem momentos que a gente se sente um grão de areia no meio de uma praia gigante, né? Mas quer saber? Às vezes a gente precisa engolir um pouco de água nesse grande copo, para dar uma acordada, para a gente nadar na direção certa ao invés de ir contra a maré ou deixar que ela nos carregue.
      Fico muito feliz de verdade que tenha te feito bem, Cami ♥ Muito obrigada pelo carinho.
      E você não está sozinha nessa de ser sensível demais, pode apostar rs
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Essa confusão é tão comum... Por tantas vezes me sinto ainda uma criança perdida, mas faço tanta questão de tentar preservar a inocência e alguns sentimentos de quando eu era pequeno que acabo não me importando.
    E essa música da Avril é maravilhosa demais, pqp. Me identifico <3

    http://baudecanto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, como uma criança perdida, como me sinto. Apesar do tempo transformar a gente, corroer alguns sentimentos bons, eu faço questão de tentar manter a maior parte intacta, cuidar das coisas boas em mim.
      E sim, essa música é incrível demais! <3
      Beijo, John ♥

      Excluir